00. a lot's gonna change

11.8.19

  • desde da ultima vez que estive aqui, pensei em fazer muitas e muitas coisas, mas por incrível que parece, estou um pouco confiante e acredito que se começar a me organizar (digo, deixar a preguiça na cama quando eu acordo) vou conseguir cumprir tudo. só tenho que ter em mente que tudo isso é aos poucos, se me pressionar muito acabo não fazendo nada e me sinto pior ainda. enfim
  • tenho que fazer coisas para o meu bem, certo? cansei de ficar deitada pensando o pior sobre que eu sou. eu desejo tanto ser feliz... emfim CANSEI CANSEI DE TUDO AAAAAA
  • mas falo isso com a maior alegria de verdade (provavelmente daqui algum tempo vou vir aqui e reclamar de tudo de novo rsrs, mas vamos fingir que não, ok?)
  • durante a semana não tenho tanto tempo livre como antes, desde segunda quero escrever aqui e só hoje está acontecendo. é o seguinte:
  • consegui um emprego! finalmente!!!! eu nem acredito, ainda com medo de mudarem de ideia sobre mim, mas isso é só eu tentando me sabotar. emfim, uma mulher empregada! aaaaah! me sentindo útil só de saber que vou poder ajudar em casa mesmo com pouco. isso me deixou muito feliz, de verdade. só tenho o que agradecer. 
  • então, já que agora passo a maior parte do dia fora de casa. com o meu tempo livro quero fazer um zilhão de coisas.
  • pensei em fazer zines a cada 2 semanas, totalmente inspirada pelo post da gabi :)
  • pensei em ressuscitar meu canal do youtube com videos sobre pequeninas coisas da minha semana (1, 2 minutos no máximo)
  • pensei até em fazer um podcast caseiro, mas logo desisti. odeio ouvir a minha voz. (já pensou editar isso? blé)
  • e alem disso, continuar lendo, assistindo série, assistindo filme, escrevendo nos meus caderninhos.
  •  (acho que ja falei isso aqui, certeza que sim mas já que eu falo sempre a mesma coisa) quero escrever alguma história, conto, fanfic. literalmente qualquer coisa, nem sei como começar mas é algo que eu desejo fazer a muito tempo.
  • outra coisa que me deixou muito felizinha ultimamente é a minha paixão repentina pelo jesse eisenberg. é uma coisa normal pra mim ficar vendo fotos e videos de artista que admiro, mas pelo jesse eu estou completamente apaixonada assisti tudo que pude encontrar dele na internet e ainda quero mais aargh
  • mas pra isso não ser apenas um ataque de fã, vou indicar alguns filmes com ele que eu adoro (tirando a rede social e truque de mestre ok)
  • louder than bombs (2015) é um drama familiar muito lindo e delicado que eu não consegui parar de assistir.
  • holly rollers (2010) é bem diferente do que eu esperava. ainda por ser uma história real me deixou muito impressionada. 
  • adventureland (2009) aquele filme preguicinha pra assistir no fim da tarde. mas ainda sim muito lindo e sensível
  • the double (2013)  meu favortito <3 é baseado no livro do dostoievski, esse filme é perfeito! é do mesmo diretor de submarino (que tem o alex turner na trilha sonora). amo a fotografia, o roteiro aaah tudo, filme maravilhoso! assistam! :D
  • e uma menção honorária a zombieland (2009) já que o segunda sai esse ano ainda :))
  • ultimamente ando viciado em dois álbuns perfeitos!!!! fiz um playlit com os dois, vou deixar o link aqui caso alguém se interessar 
  • tirando tudo isso, o que eu mais desejo para a minha vida é ser melhor. sei que não falo sobre a minha fé aqui no blog mas é a parte mais importante na minha vida. estou sempre me esforçando a buscar mais e crescer com sabedoria na fé. infelizmente escorrego muito mas sempre tento me reerguer. e é isso que tenho de fazer agora.
  • queria fazer um post diferente e despreocupado e saiu isso.
  • até outro dia

i'm a ghost, same as always - pensamentos soltos

6.7.19


Vi um filme que me deixou bem inspirada a escrever de novo. Então, aqui estão alguns parágrafos de dias diferentes sem nenhum preocupação ou linearidade.

Algumas vezes escrevo no meu caderno quando não consigo me organizar direito em nada, quando estou prestes a entrar em uma colapso ou quando tento ter responsabilidade com o que tenho que fazer, mostrando para mim que posso escrever sem estar completamente acabada emocionalmente. Mas de uma certa fora me ajuda, eu adoro o mundo que criei no meu caderninho. Onde eu posso gritar e escrever o que eu não tenho coragem de dizer em voz alta.

Procrastino muito, tem tantas coisas que e meu coração até pula pra eu realizar mas sou tão preguiçosa, sou só uma telespectadora medíocre. O pior de tudo é que carrego esse discurso a anos e nunca fiz algo efetivo sobre. Acho que algo tem que me machucar muito para que eu mude. Então eu até desejo algo assim as vezes...  Sou muito medrosa também. Sinto que eu só falo a mesma coisa sem parar, como uma disco riscado. Queria ser mais inteligente de alguma forma, ler mais livros, pesquisar sobre coisas que eu acho interessante, aprender um novo idioma.

Quero muito passar um dia inteiro só assistindo filme, um outro só lendo. É impressionante para mim mas eu to conseguindo ler bem mais esse ano. Nada como 5 por mês, nada disso mas sinto que meu amor pela leitura está voltando com força, isso me faz tão bem. (e ja assisti 170 filmes esse ano, segundo o letterboxd)

Terminei de assistir Stranger Things 3 ontem (04/07) só com seguir pensar o quanto eu queria todas as roupas deles pra mim. Principalmente a roupa da Robin, trabalhar em uma sorveteria também. Por que não. Na verdade qualquer emprego mesmo. Nada está dando certo nessa área, não sei se é um caso de auto sabotagem.

 Fico pensando muito e não faço muita coisa. Penso sobre não sair do quarto pra nada, ou passar o dai assistindo filme e etc. Na maioria das vezes passo tendo crises existenciais com medo do futuro. Mas ultimamente tenho desenhado e esquecendo do resto, não sei. Acho que ando mais calma mas não gosto de "contar vantagem" amanhã tudo pode virar de ponta cabeça e o que eu falei vai por água abaixo.



Me pergunto se tudo isso é normal. Se todas as coisas que já aconteceram ou não aconteceram são normais. Normal no sentido de cotidiano, de "as coisas são assim", "todo mundo passa por isso" ou "todo mundo deveria ter passado por isso". Não sei.

Não sei.

Vira e mexe eu fico pensando na letra daquela musica do Linkin Park,  Somewhere I Belong. Sempre ouvi essa musica, mas nunca prestei atenção na letra. Mas hoje eu, não sei, acho linda e talvez me identifique em algumas partes.

Queria viajar muito, comprar roupas que eu acho lindas. Ler muitos e muitos livros. Uma casa só minha, talvez. Desenhar coisas que eu vejo na rua, personagens que eu gosto. Escrever um conto, um livro, uma fanfic... Alguma coisa. Roteiros. Treinar e tocar baixo de verdade. Estudar coisas que eu sempre tive curiosidade só por prazer próprio. Viajar, mesmo se for por um dia. Fazer alguma coisa.

Não sei.

Stop Making Sense e sentimentos.

8.5.19


Tentei escrever de novo no blog várias vezes mas não conseguia. 
Direto ao ponto, dia 7 de março assisti o documentário do Talkings Heads "Stop Making Sense". Primeiro que ja conhecia algumas musicas deles e adorava mas esse filme é simplesmente espetacular. Literalmente sem defeito nenhum. A performasse deles e a "liderança" do David Byrne é incrível. - liderança entre aspas por quê todos brilham nesse filme. Enfim, totalmente inspirador. E como toda criação que eu admiro, eu não sei explicar o que sinto, ou melhor o que isso me faz sentir. É tão estranho mas tão bonito. Principalmente na musica This must be the place toda aquela dança, e as luzes... é perfeito. É uma daquelas coisas que faz a gente desejar se teletransportar só pra presenciar tudo com os próprios olhos.
Esse é o sentimento, afinal. 

Acho que ja comentei mas estou no meu ultimo semestre da faculdade, editando meu tcc com um buraco dentro de mim. Estou morta de medo de decepcionar e morrendo de ansiedade de entregar logo. Esse medo do futuro sempre, mas sempre me perseguiu. Queria poder deixar essas preocupações bobas de lado.
Estamos fazendo um filme ensaio, e não sei o que fazer pra "relaxar" e respirar...
Um pouco mais de um mês desativei eu instagram (ja tinha feito isso antes) pra me desprender mesmo. Imaginava que ia desencadear alguma coisa dentro de mim e assim estaria mais disposta. Mas só achei formas diferentes de me prender. Me sinto tão presa em outra realidade, como expectadora e expectadora apenas.
O pior de tudo nem é estar triste, é não sentir nada.

Então quando alguma coisa me faz despertar pelo menos por alguns minutos, me sinto melhor e assim vou tentando de novo e de novo.
Acho que é uma das coisas mais importantes da música mesmo é essa relação de sentimento.
Meu próprio tcc, tem um relação muito forte com uma musica que dá titulo para nossa obra.

Eu quero muito fazer muitas e muitas coisas, e eu já percebi que não sei me expressar direito e tudo vai continuar sendo uma tentativa.


I feel numb, born with a weak heart                                   
I guess I must be having fun                    
The less we say about it the better          
Make it up as we go alone                     
Feet on the ground, head in the sky


I can't tell one from the other

I find you, or you find me?
There was a time before we were born
If someone asks, this is where I'll be

Eu sei que poucas coisas que eu falo fazem sentido muitas vezes. mas pego o nome dessa postagem como segurança. (ps: tem vários links nessa postagem, mas se vc não tem tempo de ver todos, esse de cima vale a pena)